Compartilhe, , Google Plus, Pinterest,

Imprimir

Postado em:

Gerenciamento de restaurantes: 6 boas práticas fundamentais

Saiba as boas práticas para gerir restaurantes de forma eficaz

Você já decidiu: vai abrir o seu restaurante. Esse é o seu sonho, uma forma de ter mais segurança financeira e oferecer conforto para sua família.

Mas lembre-se que o gerenciamento de restaurantes não é uma tarefa simples.

Para ter sucesso você precisa analisar diferentes aspectos.

Por exemplo: já pensou que a administração de um restaurante envolve gestão do estoque, atendimento ao cliente, serviço ao consumidor, compra de matérias-primas, entre outros elementos?

No post de hoje, vamos mostrar a você as 6 práticas fundamentais para você fazer um bom gerenciamento de restaurantes.

Então, que tal conhecer essas dicas? Continue lendo!

Gerenciamento de restaurantes: o que considerar

gerenciamento de restaurantes

Os empreendimentos alimentícios são uma faca de dois gumes.

Ao mesmo tempo em que têm uma sobrevivência difícil no mercado devido à concorrência e às características do próprio negócio, eles podem trazer alta rentabilidade.

Por isso, se essa é a sua aposta, continue em frente! Mas tome alguns cuidados.

É preciso fazer um bom planejamento, conhecer sobre estratégias de precificação e lidar com algumas situações complicadas.

Para não ter mais prejuízos e saber como definir seu preço de venda clique aqui.

  1. Faça o planejamento do negócio

    Planejamento

    A gestão de um restaurante requer a realização de um planejamento.

    Em outras palavras, você precisa ter um plano de negócios. Esse documento deve contar com os seguintes itens:

    • Missão

      É a chamada razão de ser da empresa, ou seja, porque ela existe e quais contribuições deve trazer para a sociedade.

      Por exemplo: sua missão pode ser servir alimentos de qualidade com agilidade e cordialidade, focando na satisfação do consumidor;

    • Análise dos clientes

      Apresenta um resumo do público-alvo, o personagem que representa a maioria dos clientes.

      Para chegar a essa conclusão é preciso conhecer algumas informações sobre os consumidores, como faixa etária, gênero, tipo de trabalho, renda média mensal, escolaridade, local em que moram, hábitos de consumo etc.

      Por exemplo: mulheres que trabalham nas empresas da região, têm entre 25 e 40 anos, renda média de R$ 4 mil e ensino superior completo;

    • Análise dos concorrentes

      É a identificação de outros restaurantes da região que podem impactar os resultados do seu negócio.

      É preciso identificar quem eles são, onde estão, a qualidade da comida, o preço cobrado, as condições de pagamento, entre outras informações.

      Por exemplo: se o seu concorrente fornece desconto para os empregados de uma empresa ele tem uma vantagem. Por outro lado, se a sua comida for melhor, os clientes podem preferi-la;

    • Análise dos fornecedores

      Determinam a qualidade dos produtos utilizados.

      Faça um levantamento a respeito de fornecedores de móveis, matéria-prima, utensílios, embalagens etc.;

    • Plano financeiro

      planejamento financeiro

      Deve considerar os investimentos fixos (bens adquiridos para que o restaurante funcione), capital de giro (dinheiro reservado para o funcionamento do negócio) e investimentos pré-operacionais (gastos realizados antes da abertura do restaurante, relativos a instalação elétrica, pintura, ajustes etc.);

    • Estimativa de faturamento

      Deve considerar o preço dos concorrentes diretos e quanto os clientes pretendem pagar para comer no seu restaurante.

    Fazer essa previsão de faturamento não é tão simples. Para isso, é preciso compreender melhor como funciona a precificação.

  2. Entenda sobre precificação

    price - Gerenciamento de restaurantes: 6 boas práticas fundamentais

    A precificação do serviço pode ser a diferença entre ter lucro ou prejuízo no final do mês. Existem alguns métodos de precificação. Veja:

    • Precificação baseada na concorrência

      Os produtos têm o valor mais alto praticado no mercado.

      Por exemplo: se você vender refrigerantes, pode cobrar até R$ 4 a lata, porque esse ainda é um preço aceitável;

    • preço de custo do produto

      A ideia é verificar quanto o produto custou para você e agregar uma margem de lucro.

      Por exemplo: se você compra a mesma lata de refrigerante por R$ 1, pode acrescentar uma margem de lucro de 300% para cobrar R$ 4;

    • Precificação baseada na demanda

      Os preços são definidos de acordo com o valor percebido pelos consumidores.

      Por exemplo: se você oferecer um buffet por quilo e a sua comida tiver qualidade alta e produtos diferenciados, pode cobrar R$ 70/kg. Agora, se a comida for mais simples, precisa baixar para R$ 45/kg.

    Para você saber quais são os valores corretos para o seu restaurante, baixe essa Planilha de Precificação de Pratos e Informações Nutricionais.

  3. Faça um fluxo de caixa

    Fluxo de caixa

    Outro ponto que fundamental no gerenciamento de restaurantes é uma gestão eficiente, de acompanhamento próximo, especialmente quando se trata da parte de finanças.

    Você deve fazer um fluxo de caixa diário, semanal e mensal.

    Esse instrumento deve apresentar todas as entradas e saídas de recursos e poderá indicar períodos de sazonalidade, a necessidade de aumentar o capital de giro ou a possibilidade de ampliar o negócio.

    Vale a pena lembrar que o fluxo de caixa de restaurantes é um pouco mais complexo. No entanto, aproveite para analisar os desperdícios e ver o que pode ser cortado.

  4. Conte com um sistema de gestão

    Os softwares de gestão podem fazer a diferença na gestão do seu restaurante.

    Você pode utilizar um ponto de venda (PDV) ou optar por um ERP (Enterprise Resource Planning, ou gerenciamento de recursos da empresa).

    A segunda opção tem a vantagem de integrar diferentes dados e permitir que você acesse todas as informações em um só local, facilitando o gerenciamento do restaurante.

  5. Atualize seu menu regularmente

    A manutenção do mesmo menu sempre é bastante enfadonha para os clientes e também pode ocasionar o aumento dos preços da alimentação.

    Aproveite a oportunidade para rever o cardápio e alterar os pratos.

    Assim, pode manter os preços baixos e os lucros altos.

  6. Preste atenção ao cliente

    Atenção ao cliente

    Sabe aquela máxima de que o cliente sempre tem razão? Isso é um fato.

    Você deve sempre ouvir o consumidor e aceitar as sugestões de melhoria no gerenciamento do seu restaurante.

    A manifestação pode ocorrer por meio de um formulário escrito ou em uma conversa.

    De qualquer modo, esteja aberto às críticas, mostre-se atencioso e pense no que pode ser modificado.

    Uma dica interessante é fazer uma análise do prato.

    Por exemplo: se no dia foi oferecido frango frito e muitos clientes deixaram de comer esse alimento, provavelmente é porque estava faltando qualidade.

    Outra opção é medir a rejeição pelo peso do lixo.

    Estabeleça uma meta, por exemplo, de 25 gramas por cliente. O que passar disso indica problema de qualidade.

Entendeu quais são os pontos fundamentais para fazer um bom gerenciamento de restaurantes?

Coloque as ideias em prática e tenha mais dicas assinando a nossa newsletter.

Facebook

E se você gostou do conteúdo, aproveite para curtir a nossa página no Facebook e se manter atualizado!