Compartilhe, , Google Plus, Pinterest,

Imprimir

Postado em:

Como montar um açougue pequeno de sucesso!

Veja dicas de como montar um açougue pequeno de qualidade, destaque-se na área e seja dono do seu próprio negócio!

O Brasil é conhecido pela sua grande produção de carnes, tanto para exportação quanto para consumo interno.

Para se ter uma ideia, o país é o quarto produtor mundial de carne de porco, terceiro do ranking na produção de frango e possui o segundo maior rebanho bovino do planeta.

Além disso, OCDE estima que, até 2021, o consumo per capita de carne no Brasil terá um salto de 20%.

Isso mostra o protagonismo da carne na dieta do brasileiro e como os açougues são importantes para o fornecimento destes produtos à população – além de um investimento com grande potencial de retorno.

Por isso, neste texto vamos abordar como abrir um açougue e os principais pontos que você precisa saber, do planejamento ao início das atividades.

Acompanhe!

Requisitos para montar um açougue pequeno

Em primeiro lugar – e como no início de todo empreendimento – é essencial fazer um bom plano de negócios para definir o orçamento necessário para montar um açougue pequeno.

Nesse sentido, o primeiro passo é estudar e entender as características básicas do público que irá frequentar seu estabelecimento.

Para isso, um ponto importante a ser considerado são as diferenças sociais relacionadas ao consumo de carne, uma vez que famílias das classes mais altas gastam mais do que as de classes sociais mais baixas, diferença que pode chegar a até 5 vezes.

Outro fator primordial é a localização. Dê preferência a ruas e avenidas movimentadas, onde seu açougue seja visto de forma cotidiana.

Priorize os bairros onde ainda não existem outros estabelecimentos do tipo, evitando competir com concorrentes diretos do segmento e, especialmente, grandes redes de super e hipermercados.

Aliás, pensando no aspecto concorrência, é interessante pensar na diversificação e, de acordo com o seu estudo de público, cogitar se vale a pena ou não ser um estabelecimento mais completo, disponibilizando, por exemplo, bebidas e produtos para churrasco, como carvão, grelhas, álcool, gelo e pão de alho.

Por fim, mas não menos importante, é preciso cuidar de toda a parte burocrática que envolve a abertura de uma empresa e seu funcionamento dentro da lei.

Para isso, é recomendado ir até a prefeitura da sua cidade e se informar sobre toda a documentação exigida pelos órgãos competentes.

Embora possa haver alguma variação de região para região, os principais documentos são:

  • Criação de CNPJ junto à Receita Federal;
  • Registro na Junta Comercial;
  • Registro na Secretaria da Estadual da Fazenda;
  • Alvará de funcionamento junto à Prefeitura do Município;
  • Alvará da vigilância sanitária;
  • Vistoria do Corpo de Bombeiros Militar;
  • Inscrição no sindicato patronal;
  • Registro junto à Caixa Econômica Federal.

Estabelecimento de alimentos e a vigilância sanitária

Um ponto importante a ser frisado quando falamos sobre o que se precisa para montar um açougue pequeno são os requisitos da vigilância sanitária para estabelecimentos de comércio alimentício.

Embora se trate de um dos órgãos de fiscalização mais rígidos do Brasil, a vigilância sanitária não é um bicho de sete cabeças.

De uma maneira geral, os fiscais que vão até o açougue conferem os seguinte pontos:

  • qualidade e data de validade dos produtos;
  • manipulação e preparo;
  • condições de higiene do local;
  • uniformes dos empregados;
  • asseio dos espaços reservados para o corte de carnes;
  • estoque de alimentos.

Obviamente, isso tem impactos no modo como o negócio deve ser gerido.

Manter o local sempre limpo, organizado e de acordo com as normas e boas práticas de higiene é fundamental.

Vale destacar ainda que a legislação sanitária passa por constantes atualizações e ajustes, e a fiscalização é frequente.

Por isso, é bom manter-se atualizado e garantir, diariamente, que as condições necessárias estejam sendo cumpridas, para não tomar multas e nem colocar a saúde dos consumidores em risco.

Investimento inicial e equipamentos necessários para montar um açougue pequeno

Quanto custa para montar um açougue pequeno?

Essa é uma das perguntas mais frequentes feitas por quem deseja empreender no ramo.

Bom, para montar um açougue de qualidade, você vai necessitar de muitos equipamentos e produtos para atender à demanda diária do estabelecimento, além de um capital de giro para garantir os primeiros dias – e tudo isso tem um custo.

Por isso, é importante pesquisar bastante, encontrar os melhores fornecedores e adquirir tudo com o melhor planejamento.

Os principais equipamentos para montar um açougue pequeno são:

Para administração e gestão:

  • computador;
  • impressora;
  • linha telefônica;
  • mesas;
  • cadeiras.
  • armários;
  • gaveteiro e arquivo;
  • equipamento para receber cartões.

Para atendimento e serviço:

  • balcão em inox;
  • freezer e geladeira;
  • câmara fria;
  • balança eletrônica com etiquetadora;
  • moedor de carne do tipo industrial;
  • serra para cortar a carne congelada;
  • gancheira;
  • picador e amaciador de carnes;
  • mesa de corte em inox;
  • utensílios básicos de cozinha.

Mas, afinal, qual seria o investimento inicial para garantir toda essa estrutura básica?

A resposta é: depende.

Não é possível estipular um valor exato, pois os custos vão variar de acordo com uma série de fatores, como a localização, o tamanho do estabelecimento, os produtos que serão comercializados, entre outros.

Porém, para oferecer uma resposta mais concreta, podemos estimar um valor inicial de, aproximadamente, R$ 40 mil para montar um açougue pequeno.

Esse número deve ser o suficiente para cobrir os custos de aluguel do ponto, mobiliário, equipamentos, estoque inicial para inauguração da loja e todas as taxas necessárias para garantir a abertura do negócio.

Além dessa quantia aproximada, lembre-se de levar em consideração gastos fixos, como luz, água, gás, telefone e produtos de limpeza e higiene, e toda a tributação que incidirá sobre o estabelecimento.

E vale destacar: não se esqueça de verificar a necessidade e os custos para a contratação de funcionários.

Para um açougue de pequeno porte, cerca de 5 pessoas devem ser o suficiente para dar conta da demanda e da estrutura.

Sendo assim, além dos R$ 40 mil iniciais, o valor médio para arcar com essas despesas deve ficar em torno de R$ 25 mil.

Claro, esses valores são apenas estimativas e estão sujeitos a uma série de variantes.

Por isso, faça um planejamento cuidadoso e detalhado para verificar o investimento necessário para a abertura do seu açougue.

Gestão e divulgação do seu negócio

A gestão de um açougue envolve diversos aspectos, do serviço e produtos ofertados ao cliente até as estratégias de divulgação do estabelecimento e relacionamento com o público.

Separamos os principais pontos:

Foco na qualidade

É essencial adotar estratégias de gestão para atrair e manter clientes.

Ofertar produtos de qualidade e um bom atendimento são itens obrigatórios em qualquer estabelecimento que trabalhe em contato direto com o público.

Pensando nisso, é importante buscar um constante aperfeiçoamento, investindo na capacitação dos funcionários – e isso vale da gerência ao atendimento no balcão.

Cursos, treinamentos e especializações são bem-vindos, fazendo com que todos os colaboradores estejam atualizados sobre as melhores práticas, novos produtos e tendências do mercado.

Outro fator chave é a qualidade do produto, o que passa diretamente pela escolha de fornecedores de boa procedência.

Vale lembrar que a carne fresca é um produto altamente perecível e que, por isso, seu estabelecimento deve prezar pela alta rotatividade, oferecendo sempre produtos frescos à clientela.

Por isso, é importante estudar os fornecedores da sua região e conhecer aqueles que oferecem as melhores condições.

Aspectos como o tempo médio de transporte e de exposição da carne pesam diretamente na sua qualidade.

Nesse sentido, dê preferência a produtores locais. A carne fornecida por pequenos produtores costuma conter menos produtos prejudiciais à saúde, além de ter um logística mais simples e colaborar com a economia da região.

Saiba como divulgar seu negócio

De nada adianta contar com uma equipe capacitada e oferecer um serviço diferenciado se isso não chegar ao público consumidor e ele sequer souber da existência do seu estabelecimento.

Por isso, é preciso pensar também nas estratégias de divulgação do açougue e ir além do boca a boca.

Isso envolve tanto métodos tradicionais quanto o uso das ferramentas digitais. Pagar pessoas para distribuírem panfletos promocionais nas ruas pode ser uma ação interessante, especialmente para um estabelecimento recém-aberto.

Há ainda a publicidade em mídias tradicionais, como rádio, TV, jornais e revistas. Porém, essa costuma ser uma alternativa mais custosa e depende muito da condição financeira de cada um.

Por fim, outro meio que deve ser explorado é a internet.

Além de ser uma maneira barata de realizar a divulgação do seu açougue, hoje em dia é fundamental para empresas de todos os setores contar com um site funcional e, principalmente, um perfil ativo nas principais redes sociais.

Com um site, você pode compartilhar as principais informações sobre a empresa e seus produtos, além de concentrar os dados para contato, como telefone, e-mail e endereço.

O site também pode contar com um blog com textos próprios, ferramenta cada vez mais utilizada para atrair pessoas que pesquisam assuntos relacionados na internet.

O foco deve ser agregar valor à experiência do cliente.

No caso de um açougue, você pode oferecer receitas com carne e dicas para o churrasco perfeito, por exemplo.

Não se esqueça de manter-se ativo nas redes sociais. Nesse caso, Instagram e Facebook são as principais, ajudando a divulgar promoções, descontos e sorteios, além de fotos e vídeos, excelentes ferramentas para gerar engajamento do público.

Lembre-se de interagir com os clientes, respondendo aos comentários e avaliações que forem feitos, sabendo reconhecer críticas e agradecer elogios.

Afinal, vale a pena montar um açougue pequeno?

Esta é uma pergunta difícil de responder. O fato é que a carne é protagonista no cardápio diário do brasileiro e, com isso, o setor raramente é afetado por eventuais crises.

Mesmo com os escândalos recentes envolvendo a qualidade da carne dos grandes frigoríficos e com a economia ainda cambaleante, o brasileiro continua a consumir bastante carne e, como comentamos no começo do texto, a previsão é que esses números continuem a subir.

É importante ter em mente, porém, que de nada adianta entrar no mercado oferecendo mais do mesmo ou por puro impulso.

Para ter sucesso, é preciso se planejar muito bem, entender o mercado, oferecer diferenciais competitivos e, por questões legais, estar com toda a documentação em dia.

Gostou das nossas dicas?

Para ficar por dentro das nossas promoções, novidades e novos conteúdos, não deixe de seguir a Loja Brazil no Facebook.

Esperamos seu like!