Compartilhe, , Google Plus, Pinterest,

Imprimir

Postado em:

Confira uma lista de erros que podem levar seu restaurante à falência

10 dicas de como falir um restaurante

Sim, é isso mesmo que você leu!

É muito fácil achar listas e mais listas com dicas de cardápios, decoração, harmonização de bebidas e tudo mais que você possa fazer para montar seu restaurante e ser um sucesso.

Mas, e dicas do que não se deve fazer? Quais principais erros não cometer?

Ter um restaurante é ter um NEGÓCIO, não é um entretenimento e não dá para ser um hobby.

Segundo dados da ABRASEL (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes), de todos os bares e restaurantes que surgem no Brasil a cada ano, 80% quebram, fecham, desistem ou vão a falência antes de completarem 2 anos.

O cenário econômico exige cautela e cuidado e o empresário precisa estar atento a diversos fatores que podem desencadear a falência de sua empresa.
Pensando nisso, elaboramos uma lista de alguns erros perigosos que podem contribuir para o fechamento prematuro de um restaurante.

1 – Não fazer um plano de negócios:

Abrir um restaurante (ou qualquer empreendimento) sem um plano de negócios pode ser o primeiro passo para o fracasso.

2 – Confundir as contas pessoais com as da empresa:

Confundir os gastos pessoais com os da empresa pode levar tudo ao fundo do poço.

3 – Não ter conhecimento do ramo:

Se você (ou seu sócio) não conhece a área que pretende atuar é melhor adiar o início da empresa até descobrir todas as características do mercado. Conhecimento é peça chave para o sucesso.

4 – Abrir um restaurante sem capital de giro:

Levando em consideração que nos primeiros meses seu estabelecimento terá um público flutuante, tenha um capital de giro suficiente para sobreviver a esse período. Como saber quanto é suficiente? Volte ao primeiro tópico 

5 – Abrir um restaurante porque gosta de cozinhar:

Vários restaurantes fecham porque o propósito inicial do seu proprietário era praticar seu hobby. Se você simplesmente gosta de cozinhar e receber seus amigos, pode construir um espaço gourmet em sua residência.

6 – Economizar na mão de obra, na qualidade dos produtos e na limpeza:

Primeiramente, contrate pessoas qualificadas e experientes e as remunere de acordo. Fazer economia usando produtos de baixa qualidade comprometerá sua cozinha e nem o chef mais expert fará milagres. Economia na limpeza? Jamais. Tenha tudo, desde a cozinha ao banheiro, com a limpeza impecáveis. O lugar pode ser simples, mas tem o dever de ser limpo.
Falando em economia, atenção ao desperdício: de tempo, de recursos e, principalmente, de matérias-primas.

7 – Não ter controle:

O empreendedor precisa ter controle sobre seus custos, seu volume de vendas, situação do estoque, periodicidade de compras e finanças do seu negócio. Não tem controle? Sinto muito, mas está prestes a fechar as portas.

8 – Preocupar-se demais com “supérfluos”:

Não é que a decoração, a música ambiente e as cores dos guardanapos não são importantes, mas seu objetivo principal é servir comida e serviço de boa qualidade. “A aparência do lugar não substitui em nada o sabor de um bom prato servido com eficiência”.

9 – Acumular dívidas:

Fazer uma nova dívida para pagar a dívida velha = caminho do fracasso. Pegar dinheiro em empréstimo para quitar as contas do seu restaurante só vai gerar uma bola de neve e o fim será desastroso. Planeje. Lembre-se do primeiro tópico!

10 – Tentar agradar a todos os gostos:

Seu restaurante deve ter uma identidade, um estilo próprio e um cardápio coerente. Tentar agradar todos os paladares só vai gerar perda de alimentos, confusão na cozinha, enlouquecer seu garçom e desagradar seus clientes.

Com certeza essa lista poderia ser até mais longa, mas se você conseguir evitar ao menos essas situações terá dado um bom passo para a prosperidade e solidez no seu negócio.

Espero ter contribuído e, caso tenha alguma dúvida, crítica ou sugestão, escreva nos comentários!

Até breve!