Compartilhe, , Google Plus, Pinterest,

Imprimir

Postado em:

Dicas para elaboração de cardápio e carta de vinhos

Dicas para elaboração de cardápio e carta de vinhos

São tantos assuntos a serem pensados e pesquisados no momento de planejar um restaurante que, muitas vezes, alguns detalhes importantes como o cardápio e a carta de vinhos acabam sendo deixados um pouco de lado.

O sucesso do negócio depende de um bom planejamento e o com o cardápio não é diferente. Ele é o cartão de visitas do seu estabelecimento, seu primeiro vendedor. Deve ser bem pensado, claro, objetivo e atrativo, afinal é a sua vitrine.

Se o seu estabelecimento optar por ter uma carta de vinhos, o cuidado deve ser o mesmo. Muito mais que harmonizar, uma boa carta de vinhos precisa estar em consonância com o estilo do restaurante e, quanto mais adequada ao cardápio, melhor.

No intuito de lhe ajudar nesse planejamento, listamos algumas dicas que podem ser úteis na elaboração do seu cardápio e sua carta de vinhos.

Cardápio

O cardápio é um veículo de informação, venda e publicidade e tem como finalidade auxiliar seus clientes na escolha de alimentos e bebidas. Deve ser cuidadosamente planejado e elaborado, pois transmite a imagem do seu estabelecimento ao seu consumidor.

A partir da definição dos itens de seu cardápio é que você irá definir quantos e quais os funcionários vai precisar, estabelecer quais produtos comprar e qual a periodicidade das compras, escolher os melhores fornecedores, definir estoques e fichas técnicas.

Cardápio e carta de vinhos - blog

Escolha dos itens de acordo com o perfil do negócio

O primeiro passo é analisar o que sua estrutura física, equipamentos e funcionários suportam produzir, para que sempre possa garantir qualidade, ter lucratividade e evitar investimentos desnecessários.

Seus insumos também devem estar dentro do preço médio que se propôs a praticar e margem de lucro estabelecida, de acordo com seu tipo do seu restaurante e seu público-alvo.

Dica: fique atento aos produtos sazonais, que além de equilibrar os custos, ajudam o cliente a sentir uma atualização no cardápio.

Imagem: atrativa, mas realista

Comemos, primeiramente, com olhos. Nada mais verdadeiro que essa afirmação, por isso a necessidade de colocar uma boa foto ilustrativa do prato em seu cardápio.

Porém, para surtir o efeito necessário e o cliente não se sentir enganado, tenha cuidado com as imagens. O ideal é contratar um profissional dessa área, elaborar os pratos e assim terá como aguçar a vontade de seu público com produtos reais.

Design, nome e descrição dos pratos

O design do seu cardápio deve ser condizente com o estilo do seu restaurante. Deve ser de fácil percepção e é importante que, de alguma forma, represente a experiência do local.

Para uma leitura mais rápida, o ideal é dividir os pratos por categorias. O padrão é começar pelas entradas e petiscos, saladas e sopas, seguidas dos pratos principais, carnes, massas e risotos, e por último, as sobremesas e bebidas.

O tamanho ideal de um cardápio, para não ficar cansativo para o cliente, além de ficar mais caro e dificultar a logística da cozinha e setor de compras, é conter de 5 a 6 páginas.

Você pode optar por numerar os pratos para facilitar no momento do pedido ou colocar um nome que remeta à identidade do restaurante, mas tome cuidado para não dificultar o entendimento do cliente em relação ao prato.

Para enriquecer seu cardápio uma boa dica é inserir uma descrição do prato junto com a imagem, mas essa descrição não deve exceder 3 linhas.

Cardápio carta de vinho - demonstração

Onde coloco os preços?

Os preços devem estar visíveis, porém não necessitam ter lugar destaque.

O ideal é colocar o preço no final da descrição de cada prato.

Carta de vinhos

No momento de confeccionar sua carta de vinhos vários fatores devem ser levados em conta. Independentemente dos seus gostos pessoais, sua adega deve ser capaz de conservar os vinhos em condições adequadas, com uma diversidade para agradar seu público alvo e que esteja de acordo com a personalidade da casa, seu cardápio e seu ticket médio.

Design e organização da carta

É importante que a carta de vinhos seja de fácil entendimento para seu público.

Os vinhos deverão constar na carta por ordem geográfica, isto é, iniciando sempre pelos vinhos da região e do país onde se localiza o restaurante, ou, se for o caso, os vinhos do país cuja cozinha se inspira.

Em seguida, é importante dividi-los por gêneros. Iniciando a carta encontram-se os aperitivos, chamados de fortificados, seguindo-se os espumantes. Depois, deverão constar os vinhos brancos, os roses e, por fim, os tintos.

Informações sobre os vinhos

Sobre cada vinho que consta na sua carta, você deve indicar o nome completo, a variedade de uva de sua produção e a safra, se tiver. Além destas informações “obrigatórias”, você pode colocar algumas opcionais como o nome da vinícola, a graduação alcoólica, a casta, o produtor, etc.

Não esqueça de colocar o preço do vinho. Você pode colocar o preço da garrafa e, se for caso, o preço da taça e o seu tamanho.

Também é importante colocar a disponibilidade do vinho, você pode usar por exemplo uma etiqueta, para que o cliente não escolha um vinho que depois não está disponível no estoque.

Menu explicativo

Outra dica importante que muitas casas utilizam é colocar abaixo de cada prato que oferecem elencado o vinho ideal para aquela opção, harmonizando corretamente com a escolha.

Esta técnica ajuda e muito na escolha de quem não entende muito do assunto e quer começar a apreciar um bom vinho junto com as refeições.

Sugestões para uma carta básica de vinhos

Espumantes: Um nacional, um champanhe, um prosecco e um rose, qualquer que seja a nacionalidade. São diferentes tipos de vinhos e pelo preço ou pelo gosto, vão agradar a todos.

Brancos: Uvas como Chardonnay e Sauvignon Blanc são presenças obrigatórias.

Tintos: Não podem faltar as principais uvas: Cabernet Sauvignon, Merlot, Syrah e Pinot Noir. Além de algumas uvas mais regionais, como a “chilena” Carmenère ou a “argentina” Malbec. Dois rótulos de cada país produtor também já estão de ótimo tamanho.

Nacionalidades: Levando em conta questões de preço e de gosto, devem constar vinhos do novo e do velho mundo. Dois rótulos de cada um dos principais países produtores é o ideal: Espanha, Portugal, Itália, França, Argentina, Chile, África do Sul e Austrália.

E, é claro que não pode faltar algum rótulo nacional.

Carta de vinhos - Sugestões

Dicas finais

Montar um cardápio e uma carta de vinhos adequados é de grande importância para o seu estabelecimento, porém, é importante também que o preço esteja acessível ao seu público e que haja muita qualidade nos pratos servidos.

Tenha muito cuidado com a higiene do local e de seus colaboradores e tenha em mente, sempre, o melhor tratamento aos seus clientes.

Gostou dessas dicas? Assine nossa newsletter e receba semanalmente uma nova notícia, dica ou novidade sobre o mundo da Gastronomia e do Empreendedorismo.

Fique à vontade também para comentar ou compartilhar nossas postagens!

Fonte:
http://www.foodmagazine.com.br